Main menu
IFAC inicia revisão curricular dos cursos do Pronatec/Indígena

IFAC inicia revisão curricular dos cursos do Pronatec/Indígena

A coordenação do Pronatec desenvolvido pelo Instituto Federal do Acre (IFAC) cumpriu agenda de articulações para revisão do Plano Pedagógico dos cursos ofertados aos povos indígenas das regionais Juruá e Purus. As reuniões ocorreram no início do mês de setembro nas duas regiões acreanas.


A primeira foi na sede da Fundação Nacional do Índio (FUNAI), em Cruzeiro do Sul, principal cidade do Vale do Juruá. A coordenadora geral do Pronatec/IFAC, Alcilene Alves se reuniu com a coordenadora adjunta na regional Vale do Juruá, Aline Araújo, a coordenadora adjunta na regional Tarauacá-Envira, Daiana Araújo, os representantes da FUNAI em Cruzeiro do Sul, Luís Valdenir e Jairo Lima, da Organização de Professores Indígenas do Acre (Opiac), Francisca Arara, e do Núcleo de Estudos Afro-brasileiros e Indígenas (Neabi – Cruzeiro do Sul), Blenda Cunha de Moura, e do Neabi – Tarauacá, Cristiane Bortoli, para discutir a revisão do conteúdo curricular dos cursos ofertados pelo programa aos indígenas no Estado. A reunião ocorreu na primeira semana de setembro na sede da FUNAI no município.


O segundo compromisso da coordenadora geral foi na escola Maria de Fátima, onde funciona o anexo do IFAC em Sena Madureira, com a coordenação, parceiros de execução do Pronatec e lideranças indígenas do Vale do Purus. Alcilene conversou com o coordenador adjunto Cleudo Farias, o diretor geral do Câmpus Sena Madureira, Marcelo Helder, a representante da Opiac, Soleane Manchineri, a assessora da FUNAI Purus, Líbia Almeida, o administrador do Polo Base de Saúde Indígena, Nelson Bruno, o técnico de educação escolar, Arnaldo Mota.


Em outubro do ano passado, o IFAC certificou mais de 450 alunos em cursos de Formação Inicial Continuada (FIC) nas aldeias Caucho, em Tarauacá, e Morada Nova, em Feijó. A experiência foi tão proveitosa que desde então a coordenação do Pronatec no Instituto ampliou as conversas para melhor atender este público.


“A nossa preocupação é atender bem a essas comunidades que tem necessidades bem particulares. Por isso promovemos essas reuniões, onde discutimos a construção de um Plano Pedagógico de Curso (PPC) especial para elas com a adequação curricular necessária. Nada melhor do que ouvir e ter a cooperação de quem já trabalha com nas aldeias, tem experiência em educação indígena”, destacou a coordenadora geral do Pronatec/Ifac.


O coordenador da FUNAI na região do Juruá, Luís Valdenir, destacou a necessidade de ter programas que se preocupem com a educação dos povos indígenas. “Essas parcerias são muito importantes. É mesmo necessário pensar em como alcançar esses povos cada vez mais e melhor, afinal eles compõem a população dos oito municípios que formam a região do Vale do Juruá. São 29 terras e 13 povos indígenas”, destacou Luís.


Este ano, o IFAC prevê a abertura de aproximadamente 600 vagas em cursos de Formação Inicial e Continuada (FIC) apenas para os povos indígenas. Elaborar o Plano Pedagógico para os cursos é só o primeiro desafio.

voltar ao topo

Facebook